06/08/2018

Vitória e Cruzeiro empatam em 1 a 1 no Barradão


O time do Vitória voltou a decepcionar a sua torcida, e mais uma vez saiu de campo vaiado do Estádio Manoel Barradas, com o empate de 1 a 1 contra o Cruzeiro, ontem à tarde. O resultado mantém o Rubro-negro baiano próximo demais do Z-4, agora com 19 pontos ganhos no final da 17ª Rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, assombrado pelo fantasma do rebaixamento para a 2ª Divisão de 2019.


Vitória e Cruzeiro entraram em campo precisando dos três pontos para voltar a deixar seus torcedores felizes no Brasileiro. Mas não foi isso que aconteceu. Em uma partida bastante disputada, principalmente no segundo tempo, as equipes ficaram no 1 a 1. O Vitória abriu o placar com Neilton, de pênalti. No lance seguinte, o Cruzeiro chegou ao empate com Manoel, de cabeça. A Raposa ainda teve um gol anulado nos minutos finais da partida. Com isso, as duas equipes continuam sem vencer nesta sequência de partidas.
O Vitória conseguiu ameaçar primeiro, contando com um recuo perigoso de Murilo. Bou chutou em cima do goleiro Rafael, e a bola saiu pela linha de fundo. Logo em seguida, foi a vez de Meli bater, e a bola desviar na zaga. O primeiro chute do Cruzeiro só saiu aos 24 minutos e levou perigo. A finalização de David passou rente à meta. A Raposa cresceu no jogo e criou as melhores oportunidades. Sobis carimbou a trave. Mancuello exigiu defesa de Ronaldo. Bruno Silva, na pequena área, quase abriu o placar. O chute foi cortado por Aderllan. De falta, Sobis voltou a incomodar o goleiro Ronaldo.
Mais uma vez, quem chegou primeiro foram os donos da casa, em uma conclusão de cabeça de Walter Bou. Porém, perigo mesmo foi criado pelo Cruzeiro, com Sobis acertando a trave novamente. A resposta baiana foi na mesma moeda. Depois de grande defesa de Rafael, Neilton pegou o rebote de frente para o gol e mandou na trave, em lance incrível. Em seu melhor momento, o Vitória exigiu boas intervenções de Rafael, nos chutes de Bou e Erick. E chegou ao gol aos 26 minutos, com Neilton cobrando pênalti. Os donos da casa mal festejaram. Aos 30 minutos, Manoel, de cabeça, deixou tudo igual. No final, Wallyson obrigou Rafael a fazer outra grande defesa. Já Manoel voltou a balançar as redes, mas o árbitro apontou falta na jogada, para alivio da revoltada torcida Rubro-negra, que em coro fez campanha nas arquibancadas, contra a administração do presidente Ricardo Davi.