22/06/2018

DEM convida Eliana Calmon para vice ao governo da Bahia

O pré-candidato do DEM ao governo da Bahia, José Ronaldo, principal postulante da oposição do PT no Estado, está negociando pessoalmente a participação da ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Eliana Calmon (Rede) na chapa majoritária encabeçada por ele nas eleições 2018 - preferencialmente como vice-governadora. As conversas atendem a demanda apresentada pelo PSDB de que a aliança oposicionista contemple uma mulher. A Rede, no entanto, mantém a pré-candidatura da ex vice-prefeita de Salvador, Célia Sacramento, ao governo do Estado.
A proposta de atrair Eliana Calmon, contam fontes próximas a José Ronaldo, foi discutida 

com a ex-ministra do STJ, que levaria a proposta para avaliação interna na Rede. Ao Estado, Eliana negou a possibilidade de disputar a eleição, mas admitiu que foi sondada por emissários do pré-candidato. Interlocutores dele afirmam, contudo, que o diálogo continua acontecendo. Contatado pela reportagem, José Ronaldo não retornou as ligações. José Ronaldo tem acordo fechado para que o presidenciável do PSDB, Geraldo Alckmin, suba no palanque dele. A aliança foi firmada após o presidente do PSDB na Bahia, o deputado federal João Gualberto, abrir mão de postular o posto de governador - articulação liderada pelo próprio Alckmin.

A vaga feminina na chapa do pré-candidato do DEM também é disputada por PRB e PTB. Os dois partidos apresentaram as pré-candidaturas, respectivamente, da vereadora de Salvador Ireuda Silva e da ex-secretária municipal de Política para Mulheres, Infância e Juventude, Taíssa Gama. Ireuda é ligada à Igreja Universal do Reino de Deus e Taíssa é filha do deputado federal baiano e presidente do PTB na Bahia, Benito Gama. Na composição, apenas o nome do deputado federal tucano Jutahy Magalhães Jr. está confirmado na composição. Ele disputará uma vaga para o Senado. O outro postulante ao cargo de senador deve ser o deputado federal Irmão Lázaro (PSC), terceiro mais votado da Bahia nas eleições de 2014, apesar de uma tensão entre PSDB e PSC após Jutahy tentar interditar a pré-candidatura de Lázaro.